Santos

Quem somos

AMI: 123456789

Na linha ribeirinha, Santos vive muito da sua relação com as docas e da sua vizinhança com a Lapa.
 
 
Separado de S. Paulo pela Avenida Dom Carlos I, o bairro de Santos está ainda encostado à Lapa. O bairro conta com o excelente ginásio Academia, alguns bons restaurantes, como por exemplo o Alma do Chef Henrique Sá Pessoa, as tavernas muito na moda e que favorizam pratos tradicionais portugueses, A Travessa cuja proprietária belga se apaixonou pelo convento que serve de espaço ao restaurante, existem também famosas discotecas e bares ao longo da Rua das Janelas verdes, da Avenida 24 de Julho e das próprias docas separadas pela linha de comboio Cais do Sodré-Cascais. É verdade que associamos esta zona da cidade à sua vida noturna mas o contraste que se vive durante o dia apresenta este bairro como um dos mais polivalentes de Lisboa.
 
 
 
A embaixada de França encontra-se aqui, na calçada Marquês de Abrantes, uma rua onde desfilam joias arquiteturais. Pé direito altíssimo, construções em gaiola, tetos trabalhados, chão de madeira maciça, portadas, sem esquecer vistas deslumbrantes, são alguns dos argumentos que levam-nos a esquecer a falta generalizada de elevadores no interior dos prédios e a dificuldade de estacionamento.
 
 
 
O preço do m2 está na média alta de Lisboa mas com a recuperação de alguns antigos palácios para habitação �� provável que se note um aumento do preço nos próximos 5 anos. 
 
 
 
Para chegar a uma rentabilidade aliciante através do arrendamento anual um lugar de estacionamento será condição sinequanone, para arrendamento de curta duração por outro lado, o bairro tem boa procura.
 
 
Na linha ribeirinha, Santos vive muito da sua relação com as docas e da sua vizinhança com a Lapa.
 
 
Separado de S. Paulo pela Avenida Dom Carlos I, o bairro de Santos está ainda encostado à Lapa. O bairro conta com o excelente ginásio Academia, alguns bons restaurantes, como por exemplo o Alma do Chef Henrique Sá Pessoa, as tavernas muito na moda e que favorizam pratos tradicionais portugueses, A Travessa cuja proprietária belga se apaixonou pelo convento que serve de espaço ao restaurante, existem também famosas discotecas e bares ao longo da Rua das Janelas verdes, da Avenida 24 de Julho e das próprias docas separadas pela linha de comboio Cais do Sodré-Cascais. É verdade que associamos esta zona da cidade à sua vida noturna mas o contraste que se vive durante o dia apresenta este bairro como um dos mais polivalentes de Lisboa.
 
 
 
A embaixada de França encontra-se aqui, na calçada Marquês de Abrantes, uma rua onde desfilam joias arquiteturais. Pé direito altíssimo, construções em gaiola, tetos trabalhados, chão de madeira maciça, portadas, sem esquecer vistas deslumbrantes, são alguns dos argumentos que levam-nos a esquecer a falta generalizada de elevadores no interior dos prédios e a dificuldade de estacionamento.
 
 
 
O preço do m2 está na média alta de Lisboa mas com a recuperação de alguns antigos palácios para habitação �� provável que se note um aumento do preço nos próximos 5 anos. 
 
 
 
Para chegar a uma rentabilidade aliciante através do arrendamento anual um lugar de estacionamento será condição sinequanone, para arrendamento de curta duração por outro lado, o bairro tem boa procura.
 
 
Na linha ribeirinha, Santos vive muito da sua relação com as docas e da sua vizinhança com a Lapa.
 
 
Separado de S. Paulo pela Avenida Dom Carlos I, o bairro de Santos está ainda encostado à Lapa. O bairro conta com o excelente ginásio Academia, alguns bons restaurantes, como por exemplo o Alma do Chef Henrique Sá Pessoa, as tavernas muito na moda e que favorizam pratos tradicionais portugueses, A Travessa cuja proprietária belga se apaixonou pelo convento que serve de espaço ao restaurante, existem também famosas discotecas e bares ao longo da Rua das Janelas verdes, da Avenida 24 de Julho e das próprias docas separadas pela linha de comboio Cais do Sodré-Cascais. É verdade que associamos esta zona da cidade à sua vida noturna mas o contraste que se vive durante o dia apresenta este bairro como um dos mais polivalentes de Lisboa.
 
 
 
A embaixada de França encontra-se aqui, na calçada Marquês de Abrantes, uma rua onde desfilam joias arquiteturais. Pé direito altíssimo, construções em gaiola, tetos trabalhados, chão de madeira maciça, portadas, sem esquecer vistas deslumbrantes, são alguns dos argumentos que levam-nos a esquecer a falta generalizada de elevadores no interior dos prédios e a dificuldade de estacionamento.
 
 
 
O preço do m2 está na média alta de Lisboa mas com a recuperação de alguns antigos palácios para habitação �� provável que se note um aumento do preço nos próximos 5 anos. 
 
 
 
Para chegar a uma rentabilidade aliciante através do arrendamento anual um lugar de estacionamento será condição sinequanone, para arrendamento de curta duração por outro lado, o bairro tem boa procura.
 
 
ATENÇÃO Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies.

AceitarComo configurar